21.6.07

Flor de Qualquer Menina

CIRANDA - PANCETTI, José 1902-1958
óleo sob cartão colado em madeira


Sou caatingueira
Cerejeira forte
Mulher sem norte
Flor e assombração
Abacateiro, oração e morte
Sou idioma da nova paixão
Sou como cacto, flor de Umburana
Sabor de cana
Água e aguardente
Amor sacana, escovando os dentes
Sou a semente da nova manhã
Sou rapadura, doce flor do engenho
Flor seresteira, na ronda da noite
Sou preto velho, escravo sob açoite
Sou verso antigo
Com sabor amigo
Sou sombra fresca onde reinam as manhãs
São tantas setas, tantas descobertas
Quase ninguém sabendo a direção
Abismo certo, porta entreaberta
Uma esperança pela contramão
Copo de Leite, flor de Pimenteira
O Urucum dourando a pele inteira
Sou plenamente
O sol que a pele sente
Fruta, sement, flor do amanhã
Amor que abala a alma da gente
Saudade quente, sabor de Romã
Gata arisca na beira da porta
Verdade em horta, bala de hortelã
Caboclo, flexa, rima e cansansão
Semiótica, Orixá, canção
Amor aberto, rede na varanda
Minas, Luanda, Quito e Japão
Aventureira, flor de Arueira
Doce em compota, ponte e ribanceira
A Gameleira, o peixe e o arpão
Amor contido em plena primavera
Amor doído em qualquer estação
Risos, peneiras, desenhados em painel
Porto no céu, medo de furacão
Flor do sereno, estrela da noite
Comboio, missa, padre e procissão
Avesso de um cordel que rabiscava a cor da dança
Velho, criança, Alecrim e mel
Sou mesmo eu
A fruta derradeira
A sementeira
Seu corpo e o meu
Sou alicerse de um novo tempo
O firmamento sobre o verso ateu
Nossa Senhora, Rosa de Hiroshima
A velha rima e um poema feneceu
Água da bica
Sou pá de pedreiro
A construir a ponte sobre o mal
Flor de inocência
Desafio e irreverência
Eu sou imã pra qualquer clemência
A noite cobre e o dia me acolhe
Lua descobre o manto do nobre
A armadura olvidando o não
Acácia terna, sou flor de Algodão
Sou tantas dúvidas
Sou a Padroeira
Fruta do mato
Flor de cachoeira
Um medo santo
Minha proteção
Sou coisa rara
Sou água de pote
Forró, sou xote
Cancã e animação
Um conta-gotas
Flor pra vida inteira
Chuva, poeira
Oásis e irrigação
Que coisa livre
Nadar na Ribeira
Olhar o sol
E ser ave matutina
Que abraça a flor, envolve a menina
E depõe segredos sob a nuvem cristalina.


Alyne Costa
Ssa, maio de 2007

16 comentários:

Wam Nick disse...

Tenho que confessar...És brilhante,anjo...Com este vereve de poesia saindo dos pulsos e ganhando o mundo.Lindo!Lindo!Lindo!!!!

Paulo Sempre disse...

Uma poesia com nostalgia. Fernando Pessoa também escrevia assim...
Até sempre
Paulo
Portugal

L. Rafael Nolli disse...

Olá, Alyne! Vim cair aqui a convite do camarada Fabrício Brandão. Gostei muito do poema! Gosto muito de poemas de fôlego, que exigem uma leitura atenta! Parabéns pelo livro! Abraços!

laerth motta disse...

oi Alyne, isso é que é derramar-se
e inundar o espéctro
beijo grande

meumundoquadrado disse...

ola vim conhecer seu cantinho e adorei...

Desculpe pela ivasão...

Alex disse...

Eu "escutei" um sotaque nordestino no poema, "senti" o seu ambiente, o sol, a alegria.

Eu notei um pouco do meu jeito de escrever, no seu jeito de escrever também. É como uma explosão, sem rimas, sem pausas, um jogo de palavras.

Parabéns! E obrigado por seguir meu blog!

Um bjo.
Alex.

ediney disse...

sou também das caatingas menina forte

Edilson Pantoja disse...

Que fôlego! Que força! Que ritmo!
Gostei!
Abraço!

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE
29 FRAGMENTOS


DESEANDOOS UNAS FIESTAS ENTRAÑABLES DE NAVIDAD 2009 ESPERO OS AGRADE EL POST POETIZADO DE CREPUSCULO.

José
ramón...

Leonardo Batista disse...

Eu adoro isso tá bom?


bjs

Nina Pilar disse...

Amigos um belo dia do amigo pra vcs... na musica do milton nascimento e fernando brant a belíssima _Canção da América_, nada pode representar melhor um amigo e a sua importância...



Canção da América



Amigo é coisa pra se guardar

Debaixo de sete chaves,

Dentro do coração,

assim falava a canção que na América ouvi,

mas quem cantava chorou ao ver o seu amigo partir,

mas quem ficou, no pensamento voou,

com seu canto que o outro lembrou

E quem voou no pensamento ficou,

com a lembrança que o outro cantou.

Amigo é coisa para se guardar

No lado esquerdo do peito,

mesmo que o tempo e a distância, digam não,

mesmo esquecendo a canção.

O que importa é ouvir a voz que vem do coração.

Pois, seja o que vier,

venha o que vier

Qualquer dia amigo eu volto a te encontrar

Qualquer dia amigo, a gente vai se encontrar.



depois disso é esperar que nossos corações emocionem-se com nossas amizades como emocionamo-nos qdo ouvimos esta declaração de amor, tão maravilhosamente interpretada na voz do meu querido milton nascimento.



e esperar que cada um de nós escute o que fala o nosso coração...ate pq tudo que eu queria dizer eles já falaram, faço minha a voz deste gigante da nossa musica.

GUEVARESIAS disse...

hermosos, simplesmente hermoso... tenia muito tempo que no visitaba teu cantinho, e lindo... bjs amiga. sigue asim.

Antonio Luiz Gomes disse...

OLÁ ALINE !
Você anda sumida.Precisa "movimentar" mais o seu blog. E escrever mais,se comunicar com os seguidores.
Estou passando aqui e convidando-a a ver as novidades que implantei no meu blog,inclusive com filmes novos e antigos,legendados,dublados,etc.
Te aguardo por lá.
BOM DIA !

GUEVARESIAS disse...

hermoso, muy hermoso, como todo lo tuyo.. besos y felicidades...

João Esteves disse...

Alyne, que aconteceu a tanta inspiração, menina?
Quero mais disso pra ler e apreciar, tá bem?
Você tem, claro, nunca sai de bom pé uma só fruta.
Espero ver você voltando à blogosfera com mais poesia arretada feito essa aí.

DAVID SILVA disse...

Olá! Conheça o blog www.desenhuras.blogspot.com. Um blog dedicado a divulgação da produção teórica e prática em desenho. Nele, vc encontra e-books, e-comics, textos, eventos e dicas sobre desenho e quadrinhos.

Grato.